Original

myfreecopyright.com registered & protected

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Semana em Porto Alegre

Cá estamos novamente, passando a semana em Porto Alegre.

AVISO: post carregado de desabafos.
Ando meio sem lugar pra isso já que me observam de todos os cantos virtuais possíveis.

imagens fonte: getty images

Como tivemos um casamento sábado e era feriadão acabei ficando de novo uma semana inteira.
Pra falar a verdade, fico porque me sinto ainda muito mal fisicamente pra pegar estrada com frequência. E a idéia de estrada lotada com filas no feriado nada me agrada.
Eu fico super chateada de me sentir assim, fisicamente tão desconfortável.
Consigo sair de casa por muito pouco tempo até que as dores e contrações retornem e me derrubem.
Sábado no casamento, fomos nos arrumar as 14h, sai da festa as 23h. No limite, morrendo de dor já. Nem esperei sobremesa, bolo, música, dança, nada.
A música alta parecia refletir por dentro e a barriga parecia que iria rasgar.
Dor nas costas, vontade de deitar e esticar o corpo.
Resultado: três dias em casa, de molho pra me recuperar e deixei o Beto voltar sozinho pra Criciúma.
Ontem sai com a mãe procurando local pro chá de bebê. De carro. Duas, três horas no máximo eu já precisava voltar pra casa e deitar, tomar buscopan plus.
Eu que adoro dias lindos assim, de sol, de verão, trancada em casa.
Totalmente submersa no meu novo mundo introspectivo, dentro de mim.
O mundo do Lucas.
Eu fico pensando, será só comigo? Sou uma gravidinha estragada? To muito velha pra isso?
Minha médica diria, não, tá é pesada.

Sinto uma pressão externa querendo ver sorriso-pronto-pra-foto permanente no meu rosto 24 horas. Não consigo, porque sinto DOR.
Não consigo controlar aumento de peso. Ainda mais de repouso.
Não sou nada perfeita, ai e nem quero. O problema é sentir que esperam isso de mim.
O tempo todo. Então desculpe se nem tudo que eu faço é bonitinho e encantador.
Deveria trocar o título do post para momento desabafo.
Aliás até desabafar anda complicado.
Acho que só na minha psicóloga terei essa chance. Porque ninguém agora pode apenas me ouvir, me respeitar, apoiar. Tem sempre que me dizer o que fazer, como me sentir e mal escuta com atenção já aponta onde estou errada. Todo mundo sabe tudo.

"Dói porque o nenê é grande."
Não, tadinho, ele não tem culpa.
"Dói porque tu não te acomoda direito, não senta direito, não deita direito."
"Ai nunca ouvi falar de ninguém que se sinta assim, gravidez é estado de graça" .
"Não carrega bolsa, tua bolsa é pesada."
"Tu tem que visitar tia fulana, prima beltrana, a ciclana também" = eu ando 300km até Porto Alegre e NINGUÉM, digo, NINGUÉM pode andar 3km pra me ver na mesma cidade. Eu tenho que ir até todo mundo. "Prestenção" nem espero visita em Criciúma mais (depois de 8 anos sem nenhuma), mas me encontrar em Porto Alegre onde moram acho que não deveria ser tão difícil assim. Ou então pelo menos NÃO ESPEREM DE MIM.
"Tu não pode pegar nene no colo."
"Tu tem que convidar o casal x pra padrinhos" Essa eu ri, já de nervosa. E a insistência só pára no grito. Qdo já me tirou do sério.
"Tu é muito chata, depois que foi pra Criciúma ficou ainda mais chata".
Da mesma fonte que quer escolher padrinhos do MEU filho.
"Tu tem que voltar pra POA, o Beto deveria vender a empresa e vcs recomeçam aqui onde terão ajuda com o Lucas".
Sem comentários.
E cada pressaozinha dessas, não vem com intervalos pra eu respirar entre um chute e outro nas costelas. Vem sem interrupções. Um atrás do outro.
Eu vivo escutando: aproveite atenção que recebe na gravidez, depois é tudo pro bebê.
Eu não tenho mais tolerância pra esse tipo de atenção. Mimo pra mim é diferente de pressão, COBRANÇAS e sufocamento.
Sei que as pessoas as vezes de tão felizes nem sabem como se comportar direito e expressar tamanha alegria. Euforia coletiva. Querer agradar sem prestar atenção no que o outro tá sentindo, precisando.
Cobra, briga, depois inverte o jogo, vira vítima, faz eu me sentir mal, depois dá beijo e me agrada. Enlouquecedor.
Mas desculpe.
A gestação é um momento MEU, de me curtir, de me agradar. Dá licença?
Pode me chamar de egoísta. Pode me acusar de um monte de coisas.
Não vem me olhar com cara de vítima nem me encher de CULPA.
Meu foco agora é o LUCAS.

E eu só quero PAZ pra passar esses últimos 2 meses e meio chocando meu ovinho, curtindo cada sensação mesmo que seja de dor, mas que é MINHA.

6 comentários:

Pris Gger disse...

O que dizer, Nessa?! Acho que todas nós passamos por esses aborrecimentos em maior ou menor escala, em algum momento da nossa gestação. Tem sempre alguém que sabe mais, que fez mais e que fala demais. Não, vc não é a única e não é estragada. Apenas mais sensibilizada.
Sei que é clichê falar isso, mas tenho certeza que isso passa. Procure se concentrar no que mais importa agora: o Lucas e deixe o resto de lado. De verdade, no fim, tudo vai ficar bem.
Bjsss e melhoras.

Carla Domingos disse...

Ai Nessa eu entendo um pouco do que vc esta passando. No comeco foi assim comigo e eu quis estrangular cada pessoa que vinha com palavras idiotas, "mal pensadas". A maioria quer ajudar, ou quer ter assunto. Nao pensam antes de falar ou agir, e esquecem que na gravidez tudo muda. TUDO muda mesmo. Nao sei se serve de dica, mas eu qdo escuto esse tipo de coisa, entra num ouvido e sai pelo outro, ou entao eu retruco mesmo, de um jeito "delicado". A mulherada da igreja vivia me dizendo que eu estava "fofinha" "cheinha" e essas coisas que significam "nossa como vc engordou" e eu sempre sorria falso. Um dia numa roda, uma mulher me disse que eu estava "linda, linda mesmo!" e eu disse "como eh bom ouvir isso" e uma outro perguntou "pq, vc nao se acha bonita?" e eu respondi "me acho, so que as pessoas so vem me falar que estou cheinha e fofinha que me desanima, e um elogio eficiente eh me chamar de linda, nao de fofinha" Pronto, nunca mais me falaram nada, so me chamam de linda e elogiam minha barriguinha.
Bom, espero que sua semana termine bem e que reencontrando o Beto vc se anime!
Bjinhoos

Bia disse...

Amiga, minha GO logo na primeira consulta me disse que teria um monte de gente pra falar mal de mim, das coisas, de que tudo tava errado, das coisas ruins da gestação, etc, etc, etc... Que as coisas boas, dificilmente o povo viria falar... E sabe o que ela me disse? Praticamente pra eu mandar todo mundo catar coquinho! Trocando em miúdos, foi o que ela me disse. E na boa, sou muito educada, mas se chegam contando histórias ruins ou falando coisas desagradáveis, já vou logo mandando calar a boca e falo sério!
Amiga, a verdade é que sempre vai ter gente pra nos criticar, e isso não só na gestação não é mesmo? Imagina em uma época como essa que de uma forma não sabemos nada? Mas Deus faz as coisas tão perfeita que se não aprendêssemos na marra, não nos daria o dom de ser mãe! Então, faça como minha Go falou e manda todo mundo catar coquinho!
Imagino o quanto é complicado, pq sentimos coisas diferentes mesmo, dores, falta de vontade de sair batendo perna como antes, sei lá, é tudo novo pra gente. Hj estou curtindo minha gravidez no meu tempo e não me importando com o que os outros dizem. Faça isso tb! Curta sua gravidez, se vc engordou um pouco, depois que o bebê nascer, corre atras do preju... E assim vai...
Curta sua gravidez e esqueça os outros!! Lembre-se de vc, do marido e do filhote que daqui a pouco estará em seus braços!
Bjs

Jéssica Araújo - Gravidíssima disse...

Sabe que eu tbm fico assim as vezes. E o pior que no fundo eu me sinto uma ingrata, penso que como posso me dar ao luxo de sentir essas coisas num momento tão glorioso? Mas ai eu paro e percebo que sou humana, e tbm tenho esse direito.
Daqui a pouco o Luquinhas estará ai e vc vai ver que ta tudo valendo a pena!
Beijo

Mulher e Mãe disse...

Nessa, menina....
Amei seu post.
É bem isso mesmo.
Parece que quando estamos grávidas não podemos ter mais nenhum pensamento que não faça de nós a própria Nossa Senhora encarnada.
Lembro que eu passava por isso, quando tinha alguma raiva tinha que ouvir: "não fala essas coisas, o bebê sente..."
Ahhhh isso me matava.
Eu falava: Que bom que ele sente. Eu vou ter um bebê humano, não um robô. E ele vai saber desde cedo que a mãe dele tem sentimentos.
Como se já não bastasse nossos próprios demônios e cobranças temos que aguentar as dos outros?
Nessas horas tenta respirar fundo, contar até 10 e vem pro Twitter desabafar!
A gente entende vc!
Bjos
Calu
PS: Eu também fiquei muuuuito de repouso. Primeiro e último trimestes... E comendo de 3 em 3 horas. Parecia uma vaca no pasto....
Calma amiga, tudo melhora. Eu garanto!

Anônimo disse...

VAN estou igual a vc!!! Incluindo os chutes...rsss
E os parentes chatos tb!!! aff....eu aqui enm atendo o telefone, estou cheia do povo!!!

bjs
Gabi