Original

myfreecopyright.com registered & protected

sexta-feira, 13 de abril de 2012

Na escolinha


Quantos sentimentos contraditórios mexendo com meu coração essa semana!
Fomos conhecer a escolinha (a que comentei que era longe, fora de mão) e simplesmente me apaixonei! Tive a certeza que meu filho ficará bem cuidado ali, que receberá atenção, afeto, atividades, espaço, aprendizados, diversão e tudo que ele precisa pra ficar ali FELIZ.
Mas como é difícil deixá-lo sem sentir um aperto no coração! Um medo de que, mesmo com tudo de bacana que a escola ofereça, ele SINTA MINHA FALTA! Eu não quero que ele sofra ou tenha medo que eu não volte, que se sinta abandonado ou triste mesmo que por 1 minuto!
Aí o lado racional fala que é importante ele ter frustrações também, mas meu coração grita não, não, não! E fico louca pra pegar ele de novo no colo e amassar, encher de beijos.
Terça fomos conhecer eu e Lucas, quarta fomos com o Beto junto que também gostou muito da escola, tem um espaço ótimo,brinquedos apropriados para idade, seguros, profissionais excelentes e carinhosas, super acolhedor mesmo. Gostei muito do fato da criança explorar toda a escola, as salas são usadas por todas as turmas, como um rodízio, para que todos possam usar da estrutura. Cada criança é vista como indivíduo e, mesmo a escola tendo uma rotina, é sensível à particularidade de cada um, o tempo de cada um para adaptação, buscando o bem estar do aluno para que ele queira estar ali, que fique bem, que esteja feliz.




Ele ficou SOZINHO na escola já na quarta e quinta, hoje vamos de novo. Claro que por pouco tempo, mas já achei bastante e fiquei surpresa inclusive comigo.
Até hoje não deixei uma noite nem com a minha mãe e de repente entrego ele para uma pessoa que recém conheci. Me senti tão estranha de não estar no controle!
Porque estamos juntos noite e dia, eu vejo todos os cocôs, sei de todas colheradas que ele come, o que come, o faço dormir, visto, brinco, o tempo todo e agora sei dessas coisas por outra pessoa.
Óbvio que sou uma drama queen, não ficou 3h longe de mim e nem chorou (ainda). Ficou muito bem e está se adaptando melhor que eu, que estou perdida, por enquanto ainda sem alguém pra me receber do lado de cá, quando chego sem ele nos braços e com coração nas mãos, pra me consolar. Semana que vem vou na minha psicóloga buscar forças dentro de mim (drama queen, drama queen) já que tenho com quem deixar agora pra poder cuidar de mim também.
É só a tarde e estou exagerando, mas vai passar e vai ser bom para os dois. Pra ele, principalmente que terá espaço pra se desenvolver, que no apartamento pequeno, não temos.
A razão me faz agir sabendo ser o certo, mas o coração chora rs.
Outro sentimento que aparece é perceber que agora ele é um gurizinho e não mais um bebezinho. Que não é só meu, é do mundo! Terá uma vidinha própria a partir de agora.
Tivemos o privilégio eu e ele de estarmos juntos o tempo todo na fase em que isso era essencial, mas essa fase passou. Num piscar de olhos o tempo voou.
A maternidade é uma revolução na vida da gente e agora me sinto recomeçando a viver no mundo do lado de fora de novo.


- Posted using BlogPress from my iPad

11 comentários:

Carla Domingos disse...

Nossa que lindas as palavras! Agradeça a Deus por ter permitido vocês ficarem juntos, exclusivamente, ate agora. Não pelo dinheiro, mas eu sofro pressao de fora pra trabalhar, todo mundo aqui nao recebe salario, somos socios e todos trabalham pelo lucro. mas no proximo eu vou "exigir" ficar em casa com "eles" pelo menos de manha...
mas enfim, o lucas parece estar se dando muito bem com isso, que bom! e vc tb.. bjinhos

Di disse...

è dificl mesmo praticar um pouco de desapego e permitir que o filho da gente tenha uma vida prórpia, sem a gente pra controlar tudo. Mas fica tranquila que você não ta sozinha não, pode contar com o blog pra ter sempre uns abraços de precisar!

Bjs
DI
#amigacomenta

Thaty disse...

Adorei! Sabe que parece que foi ontem que ele nasceu? Eu ainda lembro das suas tuitadas! :)

Essa fase é muito boa. Apesar da maioria ficar um tempo doente, isso tb é bom, pq eles precisam criar imunidade. Dá trabalho, mas é a vida... E além de te dar um tempo livre, pra vc cuidar de vc, dá pra ele conviver com outras crianças, ter noção de que os outros tb tem direitos, essas coisas.

Beijos
Tati
Mulher e Mãe
#amigacomenta

Elaine Dacoregio disse...

Nessa querida, que legal que o Lucas está na escolinha, voce vai ver como ele vai se desenvolver e aprender tantas coisas num piscar de olhos. O problema maior é a adaptaçao das mães, ai como eu sofri!!!! Mas, agora já estamos melhor, rssrs
Beijos querida!!!!

Lele disse...

É, essa fase é bem contraditória... sentimos que eles precisam mas nos sentimos péssimas por isso ne?
Mas eu asou MEGA a favor de criança ir pra escola! eles aprendem tanto e com ajuda de profissionais.
E, mais do que isso, o segredo é justamente confiar na escola em que está deixando seu filho.
Boa sorte para vocês.
beijos
Lele
#amigacomenta
http://hsordili.blogspot.com

Mãe do Theo disse...

Que bom ler aqui uma boa experiencia =)

Essa semana postei no meu blog o meu dilema, de por ou não na creche http://www.docerotinamaterna.blogspot.com.br/2012/04/sobre-maternidade-trabalho-e-culpa.html

Desejo felicidade para o novo caminho do seu filhote e calma para seu coração que imagino estar apertado.

Vou te seguir para acompanhar sua experiencia, que muito me interessa nesta minha fase.

Bjs!

Mãe do Theo

Cris Guimarães disse...

A mãe sofre mais que o filho nessa fase. Para ele, tudo é novidade e aprendizado, começam a surgir os amiguinhos... É uma fase muito rica e gostosa.
#amigacomenta

cintia disse...

A gente sofre tanto. Voltei ao trabalho ha 2 meses e no inicio foi dificil soltar, mas hoje eu to tao feliz com a escolha de ter minha vida de volta e a Sofia crescendo, ficando mais independente... eh bom, viu?! Vc vai ver. Beijos xx

Dani disse...

A maternidade é toda essa contradição sim! E sabe por que vc se sente assim? Porque vc é perfeitamente normal.

Lindo ver sua entrega mesmo com o coração chorando. Lembro até hoje de como me senti quando a Bia foi pra escola pela primeira vez. Assim como o Lucas, nunca chorou, mas eu sentia que tinham rasgado uma parte de mim.

Passou e crescemos. Eu e ela.

Foi um ótimo começo o do seu gurizinho. Parabéns.

Beijo. Adoro vcs.

Loreta disse...

Oieee,

Ainn, é ruim mesmo esta fase de separação mas, é importante, pra eles e pra gente, né?
Pra mim foi engraçado pq qdo coloquei o Pedro na escola não tive tempo de sofrer pq tinha a Cacá em casa pra cuidar, daí este ano coloquei ela na escola tb, e sofri feito doida nos primeiros dias.
Não sabia oq fazer comigo mesma, sofria por ver ela chorar e não entendia oq estava acontecendo, daí me dei conta q estava sofrendo uma coisa normal, esta separação, só que com 4 anos de atraso, rsrsrs!!
Força amiga, dói um pouquinho mas, passa!! rsrsrs

Bjos!

Loreta #amigacomenta;)
@bagagemdemae

Falou Tchau disse...

Este é um passo mto importante na vida dos filhos e da gente... não é nada fácil.. mas é momento de orgulho e felicidade.
Parabens e sucesso nesta nova etapa.
Bjs
Falou Tchau!